segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Agora


Agora penso como cativo em você!
Com a cumplicidade do glorioso luar...
Sem ter esperanças nem sentir derrotas.
Apenas sentir o prazer de poder amar...
Sem querer me atrever contigo sonhar!
Apenas sentir o poder do desejar...
Sem existir nada misterioso ou indecente...
Poder ancorar este amor e ficar contente!
Respirar o pólen transformador do amor...
Sem querer profetizar o futuro...
No emudecer sentir o som da paixão...
Ser senhoril absoluto dos momentos...
Sentir o bálsamo inocente do coração!
Apenas alforriar todos os tormentos...
Navegar neste mar suave da emoção!

  Mario Macedo de Almeida