quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Areia



Eu sou apenas areia...
Que de amor se incendeia...
Preciso do seu mar
Para me molhar...
Para na vazante tu me levar!
Se não o Sol vai me secar
Árido e triste vou ficar...
Outra mulher irá
Com certeza me pisar,
Tentando o meu coração!
Mas será apenas pele
Somente bonita pele!
Ilusão em forma de pele…
Pele está que nunca provarei…
Pois o seu gosto,
Eu sempre terei…
Com ele me saciei
E nunca eu esquecerei!
Quero o seu Sal…
Não importa qual
A sua concepção…
Quero ser homogêneo
E viver do seu oxigênio…
Ser uma gota mestra,
Pequena e infinta…
Contudo a mais importante!
Aquela mais apaixonante
Do mar do seu coração!


Mario Macedo de Almeida