sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

POESIA LIMITE

Eu descobri o limite

Entre o passado e o presente!

Uma passagem bem triste.

Sem emendas...

Sem esperanças...

Apenas belas lembranças!

E se fez um adeus...

E o sol se escondeu...

Fugiste dos braços meus!

A lua reinou eterna

Nesta úmida fronteira

Onde sempre serena!

Onde o coração ousa tocar

Tentando o futuro ludibriar...

AUTOR Mario Macedo de Almeida